To Feel

Prefiro sentir, sofrer, amar, viver…

Àqueles que se dizem céticos de tempos em tempos…

São aqueles pobres que não enxergam a beleza tampouco sentem a pureza da simplicidade de um sonho

Coitado dos céticos

Aqueles que acreditam que o corpo só é corpo e anda só por si, sem sentimento vivo, só carne, sem espírito,

Aqueles que, na verdade, tentam não acreditar em nada para desvencilhar daquilo que querem sentir, da lágrima que teima em rolar, daquilo que nem a ciência explica.

Coitada de mim, dizem eles. A tola e infantil, eles me apontam… E que me acusem do que acharem conveniente, as mentes vazias de alma, tão vastas de razão. Deixo que me xinguem, desde os mais simples, aos mais complexos dos xingamentos, eu não me importo. Eu não os ouço, eu ignoro os apontamentos.

Tenho pena daqueles que desacreditam da força de um milagre, da força de um sonho, da força que vem e que ninguém explica, por mais que digam que sim.

Tenho dó daqueles que não se emocionam com uma música, com um filme, com um amor ou momentos de extrema alegria ou com um sonho realizado, daqueles que não compreendem uma metáfora ou a moral de um sentimento infantil…

Tenho compaixão por aqueles que ambicionam sem um fim…

Tenho pena daqueles que não têm um Deus para guiar ou um sonho para reconfortar…

Às vezes queria saber se esses sofreram algum mal psicológico ao qual não conseguem superar, algo que faz com que a mente bloqueie aquela lembrança de infância e que ignora a criança que existe em si. São aqueles que se sentem maduros suficientes diante do mundo, mas a falta de um eu que abandonou faz com que procurem algo intenso que preencha o que tentam não ser.

É, acredito em mágica, em vida, em segundo plano, no que me contam… O erro não é meu e a tolice é do infeliz que pensa estar me iludindo, no fundo, aquilo é ele próprio, não eu. A farsa ou ilusão é de quem engana, para mim, que ouço, já passou…

Anúncios

Diversidade, respeite

 Tem gente que dá audiência a tanta idiotice, valoriza cada insanidade, não visa as consequências e não consegue medir o impacto…
Vise a cultura culta e aquilo que acrescenta, elimine aquilo que instiga a violência, a imoralidade do ponto ético do ser humano e não apenas de si, elimine os incentivos aos preconceitos em todos os sentidos, pois muitas vezes o que lhe parece brincadeira, pode ser ofensivo aos outros. Cultive a saúde ao invés daquilo que a prejudica física e internamente.
Cultive a cultura culta
Valorize-se, mas aprenda que os outros também importam…